Entrevista com Gavin Goszka – Midnight Syndicate

2011/11/10

Gavin Goszka e Edward Douglas são os senhores sombrios que formam essa banda espetacular. O Midnight Syndicate se tornou no decorrer dos últimos anos uma Banda Cult, e quem se amarra no mundo sombrio, em Halloween, no misterioso mundo paranormal, assombrações e coisas do gênero, certamente já os conhece. Você não? Então chegou a hora!

CASAGRANDE: Como começaram e o que os motivou a criar a banda?

GAVIN: Edward Douglas começou o Midnight Syndicate em 1997, com a idéia de criar trilhas sonoras para filmes imaginários. O primeiro (auto-intitulado) CD incorporou uma vasta gama de estilos musicais – do rock ao rap – mas se amparou em uma tendência mais sombria, baseado em material de horror que lançou as bases para o que viria a ser a nossa “marca registrada”. Eu entrei em 1998 depois de participar de um show ao vivo de multimídia que Ed tinha reunido para promover o primeiro álbum. Além de compartilhar um interesse em horror, eu vi muita coisa em comum entre nós no terreno musical e sugeri que deveríamos trabalhar juntos em alguma ocasião. Cerca de um mês depois, Ed me ligou para dizer sobre a idéia de Born of the Night, e eu soube imediatamente que era algo que eu queria fazer parte. Não havia nada como o que estamos fazendo no momento. A nossa música preencheu a lacuna entre produção de efeitos sonoros com baixo orçamento para Halloween e compilações de festas “Monster Mash”, proporcionando música ambiente com uma atmosfera apropriada para alguma loja ou festa do gênero, ou eventos relacionados a lugares assombrados.

CASAGRANDE: Conte-nos algum evento interessante, curioso, que ocorreu em algum ensaio, gravação, apresentação ou viagem que você fez (Midnight Syndicate).

GAVIN: Eu nunca vou esquecer as primeiras entregas de nossos CDs para as lojas, trabalho que fizemos em grande parte pessoalmente! A área que tínhamos para cobertura era bastante substancial, então Ed e eu planejamos rotas separadas, a fim de ter tudo entregue a tempo. Isso nos permitiu falar com os compradores e gerentes de loja cara-a-cara. Eu não sei se teriamos sido capazes de estabelecer o tipo de ligações pessoais que fizemos se tivéssemos simplesmente enviado o produto por outros meios. Foi muito bom ver como os compradores ficaram animados com a nossa música, e também ouvir e aprender com o seu feedback sobre o que viram e ouviram.

CASAGRANDE – A proposta do Midnight Syndicate ao longo dos anos foi bastante específica. Alguns trabalhos mais recentes com parceiros vocais trouxe brilho, abrindo novas portas para o seu repertório. Canções como Lost e Aeternus Noctem poderiam ser tocadas em shows ao vivo. O que vocês pensam sobre isso?

GAVIN: Nós conversamos sobre fazer um show ao vivo durante anos, e essa idéia foi quase uma realidade no ano passado. Nós estávamos em uma posição onde nós tivemos que escolher entre o desenvolvimento de um show ao vivo ou trabalhar em um novo CD e acabamos escolhendo o último, por uma série de razões. Se fizermos uma apresentação ao vivo, nós queremos que seja uma experiência que nossos fãs venham gostar muito e lembrarem-se, e falarem sobre os atores da integração, filmes e outros elementos para fazer isso. Isso ainda pode acontecer em algum ponto na estrada – Acho que tudo tem sua hora certa. “Lost” foi uma canção que eu escrevi e gravei especialmente para uma cena no filme Dead Matter. Eu realmente gostei de trabalhar nele, mas eu não sei se iria aparecer em nosso set ao vivo, como é muito longe do que normalmente fazemos.

CASAGRANDE – Diga-me algo importante que seus fãs ainda não sabem, e você gostaria que eles soubessem.

GAVIN: Muitos dos nossos fãs talvez não saibam que nós mesmos criamos a maioria dos efeitos sonoros em nossos trabalhos. O estúdio onde gravamos está localizado em uma casa histórica, e o próprio ambiente forneceu a maioria dos sons para The Hour 13, a partir dos passos e portas batendo além outros ruídos do ambiente. Pedimos a ajuda de vários atores de voz para o Carnival Arcane, e também usamos o local para gravar adereços animados e outros dispositivos mecânicos, a fim de trazer o ambiente para a vida de uma maneira muito convincente e tangível.

Gavin & Ed